Tuesday, March 23, 2010

O PRINCÍPIO DE PETER

O betão voltou a matar um operário português. É com imensa facilidade que se morre em Portugal. Foi a ponte que caiu por falta de fiscalização, foi o menino que se afogou por falta de informação, foi o rapaz que se electrocutou ao accionar o botão para atravessar a via em “segurança”, são os meninos que morrem nos esgotos das piscinas, são diariamente os corpos removidos das estradas, mortos por imbecis, ou alcoólicos ou heróicos condutores topo de gama, são os jovens que voam e que morrem no ar de tiros da polícia – com tiros de aviso para o ar -, são operários que morrem numa simples vala, pois as faldas desabaram. São ainda os avisos para os mortos irem pagar impostos às finanças, os arrestos de contas há muito liquidadas, o aviso para que o cidadão seja reembolsado em 1 €, a placa de parque de estacionamento colocada de pernas para o ar, o candeeiro de iluminação pública precisamente em frente da porta da garagem.
O professor Peter defende a tese de que todos alcançamos o nosso nível de incompetência se formos subindo na carreira. Ninguém me pode afiançar, por exemplo, que o professor Cavaco Silva não atingiu já o seu nível de incompetência. Mas estou apenas a especular pois onde desejo chegar é à certeza cada vez mais sólida de que 80 ou 90% da população portiguesa atingiu já o seu nível de incompetência, o que leva muitos julgamentos à falência pois os juízos não estão, de uma maneira geral, isentos de serem atingidos pelo Princípio de Peter. Nem sequer os do Supremo.
Tenho a vaga sensação de que com este post atingi também o meu nível de incompetência.

3 comments:

vera belo marques said...

Finalmente uma noticia, embora que triste......
Bjs

vicio em bakugan said...

galera entra no meu blog tbm viciobakugan.blospot.com

R&C said...

é o país q temos